PLANO DE TRABALHO - PROFESSOR MEDIADOR


Além de ultrapassar os indicadores estabelecidos pelo MEC, a rede estadual de ensino tem alcançado elevada taxa de escolarização em todos os segmentos de renda
Em relação aos dados divulgados ontem (07) pelo movimento Todos pela Educação, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo entende que essa iniciativa é um alerta importante para que a educação pública brasileira esteja sintonizada com os esforços voltados à melhoria da qualidade do ensino. É o que vem sendo feito pela rede estadual de São Paulo, cujos indicadores de desempenho superaram as metas do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) estabelecidas pelo Ministério da Educação para todos os níveis de ensino em 2007 e em 2009 (os dados de 2011 ainda não foram divulgados).
No ciclo 1 do Ensino Fundamental (4ª série/5º ano), o Ideb obtido em 2007 foi de 5.0, enquanto a meta era de 4.8. Em 2009, o índice foi de 5.5 para uma projeção de 5.1.
No ciclo 2 do Ensino Fundamental (8ª série/9º ano), o Ideb alcançado em 2007 foi de 4.3, um ponto acima da meta projetada. Em 2009, o índice Ideb foi 4.5, sendo que a meta era 4.4.
Na 3ª série do Ensino Médio, em 2007 e em 2009, o resultado foi 3.9 para metas, respectivamente, de 3.6 e 3.7.
Em relação ao dado sobre a população não atendida, o Estado de São Paulo tem alcançado elevados níveis de escolarização em todos os segmentos de renda. Conforme dados da PNAD/IBGE, de 1992 a 2008, no Ensino Fundamental, a taxa média de escolarização evoluiu de 91,1% para 97,4%, sendo que a variação entre os 20% mais pobres foi de 85,2% para 96,6%.
No mesmo período, para o Ensino Médio, a taxa média de escolarização cresceu de 29,7% para 69,5%. Entre os 20% mais pobres da população paulista, o aumentou foi de 10% para 55,7%.
O Estado apresenta indicadores de desempenho positivos também na proporção de jovens que concluíram a educação básica de 2002 a 2008. Segundo dados da PNAD/IBGE, a proporção de jovens de 16 anos que concluíram o Ensino Fundamental nesse período cresceu de 71,2% para 80%, sendo que a meta estabelecida pelo Todos pela Educação era de 78,6%.
Também de 2002 a 2008, a proporção de jovens de 19 anos que concluíram o Ensino Médio aumentou de 51,1% para 64,8%, enquanto a meta fixada pela entidade era de 58,4%.